Contra a violência de género

Gender Violence
and Empowerment.

Power to Identify,
React and Prevent.

Sharing Experiences
is giving knowledge.
To give knowledge is to give power.
é dar poder.

Groups of women,
representing women.

Manifesto

Este é um projeto que pretende gerar novas oportunidades de protagonismo para as sobreviventes de violência, nas suas várias manifestações, nomeadamente violência doméstica, violência de género, assédio e/ou discriminação.

A Rede de Pares visa dar poder e facilitar a participação cívica destas mulheres através da criação de Redes de Pares – uma ferramenta inovadora para a intervenção e prevenção da Violência de Género.

Os grupos de pares agregam mulheres sobreviventes de violência que querem tornar mais visíveis os seus pontos de vista sobre como elaborar e implementar melhores práticas, políticas e serviços – dando-lhes suporte para se tornarem auto-representantes e poderem, através das suas experiências, transformar o sistema político e social e erradicar a violência contra as mulheres.

Rede de Sobreviventes

Dar visibilidade às histórias de vida das sobreviventes de violência, apoiar estas mulheres para que possam falar das suas experiências e de outras sobreviventes que não podem falar – e com isso sensibilizar jovens e profissionais, informar a organização de serviços e a formulação de políticas. Estes são alguns dos objetivos do projeto Rede de Pares.

As sobreviventes participam em ações de formação e sensibilização junto de jovens e de profissionais de várias instituições, ajudando a mudar crenças e valores associados à violência.

Rede de Jovens

Os programas de prevenção primária da violência contra as mulheres e violência doméstica devem atuar o mais precocemente possível e em duas vertentes: ao nível do empoderamento de meninas, raparigas e mulheres e, por outro, na desconstrução de estereótipos das masculinidades tóxicas junto de meninos, rapazes e homens.

Com o objetivo de maximizar a eficiência na comunicação com os jovens, o projeto Rede de Pares conta com o suporte de um grupo de jovens estudantes universitários para realizar webinars, workshops e outras oportunidades de interação com outros jovens estudantes e jovens profissionais.

Sobre nós

A Rede Pares, é um projeto da Open Call#4 ‘Projetos para melhorar a proteção das vítimas de violência contra as mulheres e violência doméstica’, promovido pelo ISPA – APPsyCI, financiado pelos EAA Grants e operado pela Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género (CIG), numa parceria entre a universidade e a comunidade que visa a promoção da justiça social e, em concreto, a melhor articulação dos sistemas de resposta à violência contra as mulheres.

O projeto conta ainda com quatro parceiras, associações de base local e comunitária vocacionadas para apoiar mulheres migrantes, idosas e das zonas rurais, que atuam numa lógica de proximidade, têm um papel fundamental na identificação destas mulheres: a Associação Caboverdiana de Setúbal, a Casa do Brasil de Lisboa e a Taipa, em Portugal e a WOMEN da Islândia.

Entidades

ISPA-Instituto Universitário CRL (Promotor)

Ispa   Appsyci

Ao longo dos seus 58 anos, o ISPA tem assumido um
forte compromisso com a investigação e a transferência de conhecimento, estabelecendo parcerias nacionais e internacionais com outras universidades, ONGs, municípios e empresas. A Rede Pares é promovida pelo APPsyCI – Applied Psychology Research Center Capabilities & Inclusion, que integra 60 professores e investigadores, sendo coordenado pelo Professor José Ornelas, com o objectivo de capacitar pessoas e instituições para desenvolver soluções para problemas sociais concretos e complexos que se colocam ao longo da vida.

Ispa   Appsyci

Ao longo dos seus 58 anos, o ISPA tem assumido um
forte compromisso com a investigação e a transferência de conhecimento, estabelecendo parcerias nacionais e internacionais com outras universidades, ONGs, municípios e empresas. A Rede Pares é promovida pelo APPsyCI – Applied Psychology Research Center Capabilities & Inclusion, que integra 60 professores e investigadores, sendo coordenado pelo Professor José Ornelas, com o objectivo de capacitar pessoas e instituições para desenvolver soluções para problemas sociais concretos e complexos que se colocam ao longo da vida.

Associação Caboverdiana de Setúbal (Parceiro)

Acvs

Fundada em 1983 no Bairro da Bela Vista em Setúbal, é uma IPSS, sem fins lucrativos, de caráter sócio cultural e desportivo. A ACVS é uma organização aberta que tem por missão o desenvolvimento estratégico de políticas de inclusão e integração social de imigrantes e pessoas de contextos vulneráveis. Procura estabelecer pontes e intermediar o diálogo com a sociedade civil em geral e em particular com os mais carenciados, através da implementação de programas sociais, educativos, culturais, com o objectivo de lutar contra a pobreza, a discriminação e todas as formas de exclusão.

Acvs

Fundada em 1983 no Bairro da Bela Vista em Setúbal, é uma IPSS, sem fins lucrativos, de caráter sócio cultural e desportivo. A ACVS é uma organização aberta que tem por missão o desenvolvimento estratégico de políticas de inclusão e integração social de imigrantes e pessoas de contextos vulneráveis. Procura estabelecer pontes e intermediar o diálogo com a sociedade civil em geral e em particular com os mais carenciados, através da implementação de programas sociais, educativos, culturais, com o objectivo de lutar contra a pobreza, a discriminação e todas as formas de exclusão.

Casa do Brasil de Lisboa (Parceiro)

Cbl

Associação de imigrantes sem fins lucrativos, a CBL
tem um trabalho ativo na reflexão e implementação das políticas públicas, assumindo um papel de ativismo e reivindicação de políticas igualitárias para as comunidades imigrantes em Portugal, tendo vindo a desenvolver vários projetos e ações nesse sentido. Além do trabalho de intervenção social e de ativismo, promove ainda a valorização da multiculturalidade, da interculturalidade e a integração por meio da cultura.

Cbl

Associação de imigrantes sem fins lucrativos, a CBL
tem um trabalho ativo na reflexão e implementação das políticas públicas, assumindo um papel de ativismo e reivindicação de políticas igualitárias para as comunidades imigrantes em Portugal, tendo vindo a desenvolver vários projetos e ações nesse sentido. Além do trabalho de intervenção social e de ativismo, promove ainda a valorização da multiculturalidade, da interculturalidade e a integração por meio da cultura.

A TAIPA – Organização Cooperativa para o Desenvolvimento Integrado do Concelho e Odemira, Crl. - Parceiro (Parceiro)

Taipa

Foi constituída no ano 2000, com a perspetiva de atuar no desenvolvimento local. Gradualmente esta entidade foi alargando o espectro das suas atividades e do território de atuação para o Litoral Alentejano e para alguns concelhos do Algarve, e tem desenvolvido projetos em diversas áreas: formação e educação de adultos, animação comunitária, integração de migrantes, igualdade de género e combate à violência doméstica, promoção do envelhecimento ativo, promoção da saúde e bem-estar, promoção do sucesso escolar e do desenvolvimento económico.

Taipa

Foi constituída no ano 2000, com a perspetiva de atuar no desenvolvimento local. Gradualmente esta entidade foi alargando o espectro das suas atividades e do território de atuação para o Litoral Alentejano e para alguns concelhos do Algarve, e tem desenvolvido projetos em diversas áreas: formação e educação de adultos, animação comunitária, integração de migrantes, igualdade de género e combate à violência doméstica, promoção do envelhecimento ativo, promoção da saúde e bem-estar, promoção do sucesso escolar e do desenvolvimento económico.

W.O.M.E.N. (Parceiro)

W.O.M.E.N.

Fundada 2003 por mulheres de origem estrangeira que viviam na Islândia e que sentiram que as mulheres migrantes precisavam de ser ouvidas e de ter um lugar justo na sociedade. A W.O.M.E.N é uma organização não governamental sem fins lucrativos, dirigida por voluntárias, com o objetivo de unir mulheres de todas as origens, para abordar e defender os seus interesses, direitos e questões relacionadas especificamente com as mulheres migrantes. Pretende assim alcançar igualdade para as mulheres estrangeiras, em todas as áreas da sociedade islandesa, dando-lhes poder e criando um espaço seguro para elas se possam expressar e se descobrirem na sua nova sociedade. A WOMEN pertence a um dos países dadores dos EEA Grants (Islândia), atuando como consultora do projeto.

W.O.M.E.N.

Fundada 2003 por mulheres de origem estrangeira que viviam na Islândia e que sentiram que as mulheres migrantes precisavam de ser ouvidas e de ter um lugar justo na sociedade. A W.O.M.E.N é uma organização não governamental sem fins lucrativos, dirigida por voluntárias, com o objetivo de unir mulheres de todas as origens, para abordar e defender os seus interesses, direitos e questões relacionadas especificamente com as mulheres migrantes. Pretende assim alcançar igualdade para as mulheres estrangeiras, em todas as áreas da sociedade islandesa, dando-lhes poder e criando um espaço seguro para elas se possam expressar e se descobrirem na sua nova sociedade. A WOMEN pertence a um dos países dadores dos EEA Grants (Islândia), atuando como consultora do projeto.

Financiador & Operador

EEA Grants (Financiador)

Eea Grants

Os EEA Grants são um mecanismo financeiro plurianual que representam o contributo da Islândia, do Liechtenstein e da Noruega para reduzir as disparidades no Espaço Económico Europeu (EEE) e fortalecer as relações bilaterais com 15 países da União Europeia situados na Europa Central e do Sul e que apresentam maiores desvios da média europeia do Produto Interno Bruto per capita. Os EEA Grants contribuem também para reforçar os valores fundamentais da Europa como a democracia, a tolerância e o Estado de direito.

Eea Grants

Os EEA Grants são um mecanismo financeiro plurianual que representam o contributo da Islândia, do Liechtenstein e da Noruega para reduzir as disparidades no Espaço Económico Europeu (EEE) e fortalecer as relações bilaterais com 15 países da União Europeia situados na Europa Central e do Sul e que apresentam maiores desvios da média europeia do Produto Interno Bruto per capita. Os EEA Grants contribuem também para reforçar os valores fundamentais da Europa como a democracia, a tolerância e o Estado de direito.

CIG - Comissão para a Cidadania (Operadora de Programa)

Cig

A Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género
(CIG) é o organismo nacional responsável pela promoção e defesa desse princípio, procurando responder às profundas alterações sociais e políticas da sociedade em matéria de cidadania e igualdade de género. É também a operadora do programa Conciliação e Igualdade de Género dos EEA Grants.

Cig

A Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género
(CIG) é o organismo nacional responsável pela promoção e defesa desse princípio, procurando responder às profundas alterações sociais e políticas da sociedade em matéria de cidadania e igualdade de género. É também a operadora do programa Conciliação e Igualdade de Género dos EEA Grants.

Equipa

ISPA

José Ornelas(Coordinator)

Maria João Vargas-Moniz(Researcher)

Maria João Conde(Project manager)

ACVS

Felismina Mendes

Eunice Mendes

Casa do Brasil de Lisboa

Cyntia de Paula

Janine Martins Weber

Taipa

Dora Guerreiro

Teresa Barradas

Sara Horta

Anabela Jesus

WOMEN in Iceland

Nichole Mosty

O Que Fizemos

Workshop online
Um roteiro das recomendações da Equipa de Análise Retrospetiva de Homicídio em Violência Doméstica

Formador Rui do Carmo
14/07/2021
70 participantes | 61 mulheres | 9 homens |  60 profissionais 10 estudantes

Sobre o evento A Lei da Violência Doméstica prevê a análise retrospetiva das situações de homicídio ocorrido em contexto de violência doméstica. Existe uma equipa responsável por elaborar a análise retrospetiva e retirar conclusões que permitam a implementação de novas metodologias preventivas ao nível dos procedimentos e a produção de recomendações às entidades públicas ou privadas com intervenção neste domínio. Rui do Carmo, Procurador da República jubilado e Coordenador da Equipa de Análise Retrospetiva fez um breve roteiro das recomendações que esta equipa tem produzido nos últimos anos.

Veja aqui o vídeo do webinar

Downloads

Guias CIG

outro nome(pdf)

Documentos & Artigos

outro nome(pdf)

Vídeos

Video #01

Programas

Programa XPTO #1

Link Osseces magnimenti arum que volo volo etur adi des ex et praero ipsanda quid est, quae entibusda pa coris et utas a dolupti anda vel evendisciis delia dit, qui ipsa

www.link.pt

 

Programa XPTO #2

Link Osseces magnimenti arum que volo volo etur adi des ex et praero ipsanda quid est, quae entibusda pa coris et utas a dolupti anda vel evendisciis delia dit, qui ipsa

www.link.pt

 

Programa XPTO #3

Link Osseces magnimenti arum que volo volo etur adi des ex et praero ipsanda quid est, quae entibusda pa coris et utas a dolupti anda vel evendisciis delia dit, qui ipsa

www.link.pt